https://www.criarbanner.com.br/criargifs/a/1f588446f6ad0cab9c1cea00b6ec179f.gif

30 de set de 2010

Estrela matutina..., sua luz me lembra você

Vou me recolher mais cedo
Estive a tua espera, sei que
Não estais por perto, uma amiga
Me falou..., só retornarás quando
Puderes..., minha espera terminou

Para as cobertas vou me abrigar
Neste início de inverno, que não tarda
A chegar, vou me cobrir para o frio
Não me tocar, vou tentar dormir logo
Para não ficar pensando em ti

Não sentir o teu calor, o teu perfume
A tua voz, sussurrando ao meu ouvido
As palavras que queria ouvir de ti
Me abrigar me por a dormir..., repousar

Vou deixar as cortinas abertas, para a
Luz das estrelas e da lua, penetrar no
Meu quarto, me fazer companhia, nesta
Noite fria, sem ti para me aquecer

Pela manhã, observarei o firmamento
A lua invejosa se retira e só a estrela
Matutina, que me lembra você
Ainda estará no céu esperando o meu
Despertar..., vou te saudar e me
Lembrarei de você..., te aguardarei
Na varanda..., não demores

Quero te falar, quero compartilhar
Meus desejos, minha paixão
Minha saudade, te dedicar o meu amor
Meus poemas, meus rascunhos que
Nesta ausência foram deixados
Nestes papeis espalhados..., jogados
Sobre a mesa..., de trabalho.

Que saudade..., volte logo...

Gerson(200610)


29 de set de 2010

Venha me transformar, mudar tudo
Em mim, será que preciso morrer,
Então o farei..., morrerei por ti
Mas, com certeza irei renascer
Um outro ser, mas amável, mas
Carinhoso, mais desejoso do teu
Amor...

Este será o ponto de partida para
Uma nova vida, uma nova existência
Jogar fora estas carências que me
Perseguiam na outra vida...
Alçar novos horizontes, percorrer
Novos caminhos, sentir que tudo
Mudou, amar como nunca amei
Dar-te o que nunca te dei

Será que este momento, em que
Passo desta para melhor..., será
A resposta, minhas preces serão
Atendidas, meu amor será compreendido
Assimilado..., absorvido

Mate o seu egoísmo a sua intolerância
A suas dúvidas, os seus medos
Faça nascer à esperança de que um
Novo amor nasceu e cresce a toda
Hora, a cada instante se renova
A cada momento se fortalece
Esta se tornando maduro
Como fruto, próprio para o teu
Consumo me absorva me deixe entrar
No seu mundo...

Não desperdice este momento
Sabes que o tempo, inclemente, não deixa
Espaço para a incerteza..., minha deusa
Teu servo te espera, me leve para o seu
Templo, te adorar será meu prazer
Só assim justifico minha morte para depois
Renascer e contigo..., viver

Gerson(200610)

28 de set de 2010

Apague a luz do abajur
Quero te olhar na penumbra, faça juz
A este amor que te dedico, aflito estou
Para demonstrar que te amo
Deixe-me provar..., isto

A cada anoitecer, este sentimento se
Renova, tão antigo, desde o tempo
De namoro, quando entregamos
A nossa intimidade, sem pudor, com amor

Nesta noite linda, em que nossos
Corpos se tocam nossos fluídos
Renovam-se, és o receptáculo da
Paixão que ainda me corre nas veias
Acelera o meu coração, quando
Encontra o teu, nossos compassos
Igualam-se, nossas carências
Se vão, nossa libido..., então
Dispara um enorme tesão

Pegue a minha mão e siga por
Novos caminho sinta este amor
Que te quer penetrar, se apossar
Do teu peito, transformar este colo
No seu novo lar, sorver a tua energia
E transformar em prazer, te dar este
Bem querer que me fará crescer
Como amante, como seu de agora
Em diante...

Receba-me com carinho, vou te levar
Por caminhos rodeados de flores
Canteiros ornados de rosas..., amorosas
Que vou regar todos os dias, com minhas
Palavras de amor e carinho
Minha vida, minha alegria, minha certeza
Minha natureza..., serás a luz da manhã
Receba-me em seu firmamento
Minha estrela matutina...

Gerson(280910)

27 de set de 2010

Eu passei pela vida, amei desfrutei
Este sentimento, que sempre me arrebatou
Sempre me dominou, me levou a caminhos
Incertos, difíceis..., por vezes íngremes
Quase inexpugnáveis...

Nunca desanimei, pois a felicidade de um
Amor, amor que corresponde as nossas
Necessitudes, nos leva a prazeres imensos
A correspondência é muito importante
Nos faz sentir o prazer da pessoa que
Desejamos, nos amamos sem medo
Sem barreiras..., as vezes na calada
De nossas almas, que ao menor sinal
Mostra-se presente, interessada...,

Eu acredito em mim, gasto minhas horas
Tentando me aprofundar em temas
Que me levam as almas que se perdem
Nesta complicada maneira de amar, sem
Que dúvidas não venham atrapalhar
Devemos nos dedicar a este sentimento
Sem medo, sem ter garantia de que ele
Dará certo, ignorar a pessoa, amada é
Pior, pra você e para ela, abra o jogo
Fale, encontre um jeito de amenizar
A dor..., e do outro também
Não sejamos egoístas, e abandonar
Aquele ser amado, que nos trouxe
Alegria, prazer, nos fez sonhar
Mesmo que fosse impossível o contato
Um simples abraço..., um beijo

As vezes é melhor sentir, que ficar pelos
Cantos, remoendo saudades, ficando
Só, em meio a uma multidão ao redor

Quem quase amou, quem quase viveu
Na verdade..., já morreu.

Gerson(270910)

26 de set de 2010

Vou te deixar..., despenteada

Quero passar minhas mãos nos teus cabelos
Penetrá-los com meus dedos, te deixar
Despenteada..., deitada sobre mim
Sentir o calor que cobrirá o meu corpo
Com estes fios soltos..., espalhados

Vamos aproveitar, pois o tempo não espera
A vida corre, as horas passam tão rápidas
Que seja intenso o nosso amor
Aproveitar este momento, pois talvez um
Outro não haverá..., vamos desfrutar
As horas em que juntos ficamos
Trocamos juras, nos revelamos...,
Confidenciamos nossos segredos
Experiências que vivemos..., beijos que
Demos, e nunca mais receberemos

Vamos nos amar beijar, abraçar, pelos
Salões, dançar, rodopiar..., viver plenamente
Sentir que estamos vivos, que somos
Queridos, despertamos paixões, somos
Amados..., correspondidos

Sempre seguirei os teus passos
Meus abraços sempre estarão ao teu
Alcance..., meus carinhos, meus beijos
Estarão sempre ao teu dispor
Nestas linhas meu amor vou deixar
Podes guardar, junto do teu peito
Sou seu..., onde melhor poderia estar
Senão junto ao seu coração

Gerson(180610)

Uma nova moldura..., para teu retrato

Comprei uma nova moldura
Para tua foto guardar
Vou colocá-la em meu quarto
Na parede em frente a porta
Quando adentrar no recinto
Olharei o teu corpo, majestoso
Meu oásis de prazer...

Nesta imagem,quero ver
Tua natureza..., tua nudez
Fonte da luxúria, que me leva
A loucura, nos momentos em que
Juntos, nos amamos sem censura
Minhas mãos que percorrem tuas
Planícies, teus montes, teus abismos
Tuas cavidades, quentes e aveludadas
Te conduz na minha estrada, mãos dadas

Que posso mais merecer..., que o teu
Prazer, sobre meu corpo, se derrama
Me leva ao Nirvana..., minha cama
Te recebe com lençóis de seda
Almofadas espalhadas, para teu corpo
Repousar, depois do coito, realizar

Minha amada, minha querida, minha vida
Meu sustento, meu elemento, meu
Complemento, meu ungüento, meu
Remédio, minha cura..., minha candura

Não sei o que seria de mim
Se um dia te perdesse, se não mais
Me amasse..., se me deixa-se só

Morreria..., me atiraria no mar
Pelas ondas, me perder, meu corpo
Desfazer nas espumas..., desaparecer

Gerson(170610)

23 de set de 2010

Minha paixão de Primavera

Quero teu novo amor, ser
Aquele que as alturas te levará
Minha candura, causador da tua cura serei
Deste mal que sofres na vida
Que deixa o coração ferido
Maltrapilho..., machucado
Solitário e doído

O teu corpo quero invadir
Penetrar no âmago de teu ser
Vibrar na sintonia do teu pensar
Amar-te como mereces ser
Merecedor por certo serei
Minha amada, minha vida
Uma flor de Primavera
A minha Rosa mais bela...

Estou a tua espera
Pelas noites a vagar
Sem sono sem sonhos
Numa busca frenética
Pelo teu amor, almejar

Muitos beijos, abraços
Carinhos sem fim, seus cabelos
Sentir em meus dedos, o perfume
Aspirar deste corpo que desejo tocar
Sentir o teu prazer se derramar sobre mim
Vem me completar, tuas mãos quero sentir
Roçar em mim..., que paixão a minha
Que volúpia tem para mim
Espero-te em meu jardim
A Lua..., é companheira dos amantes
Segredo sabe guardar...

Gerson (230910)

22 de set de 2010

Teu silêncio me incomoda

Por que o teu silêncio
Incomoda-me tanto
Desejo tanto ouvir de ti
Que muito me amas
Sentes o teu coração bater mais forte
Quando nos falamos, pensamentos trocamos
Solicitamos-nos mutuamente
Tenho de ti uma carência
Envolvi-me pelas ideias tuas
Pelos manuscritos teus
Pelas palavras que brotam
Sentimentos puros, doces sussurros
Pela magia, pelo encantamento teu
Tua imagem que da mente não sai

Vou ficar em silêncio
Podes folhear as páginas deste livro
Lá estarão os meus pensamentos
Nada que se possa ler
Apenas sentir, serás capaz
Poderás saber o que penso
Toque nas páginas, conseguirás
O livro da vida que tens nas mãos
Meu testemunho não foi em vão

Gerson (220910)

21 de set de 2010

Só quero a tua felicidade..., acredite

 
Enxugarei tuas lágrimas, sempre que deste
Rosto rolar, não importa o motivo, sempre
Por perto estarei, me peça que as secarei

Terás a minha alegria, te trarei para o meu
Ninho, terás abrigo, calor e amor...
Sempre que desejares, que sentires a falta
De uma palavra, que te eleve que te faça
Feliz...

Abandonada, nunca mais irás sentir este
Desconforto..., cavalgaremos juntos pelos
Campos, pelas serras, pelas matas fechadas
Por estas encruzilhadas incertas, nunca mais
Andarás, serei tua seta, a mostrar os caminhos
Os riachos onde te banharás, as fontes onde
Beberás o elixir da juventude, nadarás nos açudes
Que a vida te reserva...

Não me nega esta felicidade, te proporcionar
Uma nova esperança, uma nova virtude
Um horizonte de luz e prazer, em ver este novo
Sol nascer, e te tocar com os raios de luz
Que dirijo até você, este bem querer

Meu branco cavalo, preparado, alimentado
Pronto para percorrer as pradarias
Só precisa do teu chamado, está indócil
Só espera pela tua montaria
Não demore, antes que o dia termine
Antes que a noite nos cubra, invejosa
E escura, roubar de ti o brilho deste amor

Gerson(160610)

Sonhar acordado me faz este amor

Sonho acordado
Da noite fria que companhia me fez
Amanheço coberto pelo orvalho
A lua, penalizada quis me fazer um poema
Disse pra ela que não...
Se quisesse um poema que fosse dela
Minha amada que longe está
Só espero que amanheça logo
Para tentar com ela, me comunicar

Minha chama ainda arde
Acesa por ela e para ela aquecer

Íntimo momento vivi
Troca de carinhos, palavras soltas
Um mundo mágico e terno
Nas sutilezas nos amamos
Enveredamos pela poesia
Vivenciamos nossos momentos
Nada me afastará de ti
Entrego-me a este amor
Beijo tuas faces

Amor de minha vida
Receba-me no seu peito
Olho teu retrato todo instante
Beijo tua foto com ternura
Eleito por ti quer ser este amor
Dá-me o teu coração quero amar-te

Gerson (210910)

20 de set de 2010

À luz do teu candeeiro

Chega a Primavera
Estação das flores
Dos amores que nascem
Das rosas que se abrem
Das paixões que vamos viver

Dádivas que recebemos
Envolvemos nossas almas
Brotos de um amor que nasce
Ouvir o coração da amada
Ruído calmo, mas suficiente
Atento estou quero ouvir..., te amo

Beleza e ternura
Envolveu-me por completo
Nada me fará desistir de ti
Venha e aconchegue-se...
Entre no meu corpo
Nutre tua alma da minha energia
Umedece seus lábios nos meus
Traga contigo a paixão hospedeira
Ilumina minha estrada com teu candeeiro

Gerson (200910)

Para minha amiga, escritora Débora Benvenuti
http://deborabenvenuti.loveblog.com.br

19 de set de 2010

Será que terei que nascer, novamente

Acabaram de anunciar a minha morte
Devo ficar neste asilo, por um bom tempo
Só espero não me curar logo, pois serei
Expulso daqui...

Me deram alta, dizem que estou muito novo
Para por aqui permanecer, há poucas vagas
Terei que ir...

Minha aposentadoria foi cancelada
Devido a minha idade, 30 anos, não tenho
Direito a gozá-la, terei que arrumar um emprêgo...

Vou curtir esta vida, vou beber muito, vou amar
Como nunca, muitas festas frequentar, até para
Um time de futebol, vou entrar
Serei famosos, muitas mulheres estarão aos meus
Pés...

Estou na faculdade, nos estudos vou bem
Tenho muitas namoradas, minhas notas
Estão altas, estou me dando bem...

Meus 18 anos, idade de ouro,
Sem nenhuma responsabilidade
Que ótima fase, pego minha mesada
E torro tudo em vaidade...

No colo de minha mãe, minha proteção
Amamento-me, satisfaço a minha fome
Durmo quase todo o dia, minhas fraldas
São trocadas a cada meia hora

No calor deste útero, flutuo tranquilo
Temperatura agradável, nenhum barulho,
Só sussurros..., e este estranho orgasmo...

Será que terei que nascer, novamente?

Gerson(150610)

Neste poema eu tive a inspiração numa pergunta da minha amada amiga Fedra, sobre a inversão da vida, Morrer primeiro e depois nascer. Este poema vai dedicado a Fedra. Lá do Yahoo
 

Vamos cavalgar..., vamos amar

Mulher foi esta a tua decisão
Te transformaste nesta linda fêmea
Sabes o que queres e sente que teu amor
Deseja em outro penetrar, fazê-lo sonhar
Teus desejos saciar, te trazer a paz

Te darei a coragem necessária para
Este amor desfrutar, não és nenhuma
Menina, há tempos deixastes de ser a
Princesa apaixonada, dos contos de fada

Se chorastes no passado, te trarei a alegria
Que precisas, me transforme em seu príncipe
Em meu cavalo branco, vamos cavalgar pelas
Estepes dos campos de nossos sonhos
Saltaremos os córregos serenos, nos banharemos
Nas cascatas secretas dos tempos de namoro
Amaremos nas grutas de nossas lembranças

Tua realização é a minha
Tua alegria e prazer será o meu prêmio
Tua felicidade é o meu maior objetivo
Trazer-te para a vida e gozar este amor
É minha paixão..., seja minha, então

Nunca mais chorar pelo passado perdido
Lembrar sempre que este amor, guardado
Calado, sairá deste peito para se abrigar
No meu, ancorado ao meu coração
Mergulhado neste oceano que é meu corpo
Teu paraíso, teu novo ninho
O lugar onde encontrar um novo lar para
Amar...

Gerson(150610)

És a minha metade..., como negar

Estou disposto a te dar o meu amor
Que mais posso te oferecer que não
Sejas capaz de me dar em troca

Te atraio porque quero me doar a você
Por inteiro, meu coração irá se alegrar
Mais forte baterá, neste peito que é seu

Te trazer para que juntos possamos viver
Este sentimento que brota de mim, deste amor
Sem fim...

Nunca te magoarei, esta ousadia nunca terei
Sempre seu serei..., sempre saberei respeitar
A tua condição..., mas não posso reprimir
Este sentimento, que me sufoca, mal me
Deixa respirar...

Como te odiar, se te amo
Se não estais ao meu lado
Compreendo..., me conformo

Nunca vou te esquecer, como poderei
Este ato, impensado..., cometer
Só se fora de meu juízo, ficar

Nunca poderei te abandonar
Mesmo diante desta distância que nos
Separa, fico nesta vão que ainda
Existe entre nós, superado pelos meus
Poemas que te chegam, que tu lê
Que te fazem repousar nestas palavras
Que querem te acariciar

Te amo e sei que serás capaz de me amar
És a minha metade, que sempre procurei
Agora que encontrei, não perderei
Te amarei para sempre, será que será
O suficiente..., pra ti

Gerson(190910)

18 de set de 2010

Meu bem querer..., és tu, minha amada

Saiba que quando digo que te amo
É a mais pura verdade, não posso
Esconder o que sinto, me recuso a
Suprimir de ti..., só irei sofrer
É o mesmo que não ouvir o canto
De um pássaro nem o murmúrio
Das águas de um riacho
Não lembrar um beijo apaixonado
Não ver o sol nascer no horizonte

Queria te telefonar, ouvir tua voz
Sentir a emoção que te envolve
Quando falo desta paixão que brota
Deste devoto que te adora
Que passa horas a olhar o teu retrato
Que escreve estas dedicatórias

Não tenhas vergonha de amar
Um outro que apareceu na tua vida
Que só quer um olhar carinhoso
Uma palavra de alento, para este
Coração que sofre e sente a tua distância

Quero o teu calor, sentir os teus lábios
Prender-me em teu abraço, teu riso
Fácil, tua alegria para me contagiar
Me amar..., será que é muito o que peço
Será que não presto como companhia
Será que me diminuiria, jogar-me aos teus
Pés, suplicante..., delirante

Sou capaz de qualquer loucura
Para ouvir desta boca, qualquer coisa
Que me leve as alturas
Que me ponha ao teu lado, minha amada
Senhora do meu ser, minha alma é tua
Minha deusa, minha obediência é sua
Meu amor só pode ser dedicado a você
Meu bem querer...

Gerson(140610)

És o sentido da vida

És o sentido da vida
A razão do manifesto do amor
Sentimento que penetra, sem dor
Meu corpo que abriga o teu
Nas noites calmas e frias
Entre as cobertas macias

Aninhas o teu seio, junto ao meu
Peito me apertas neste abraço
Ato consciente que me entrego
Aos teus caprichos, teus amassos
Me derramo neste claustro
Meu mosteiro, meu recanto

Minha fé neste amor, é tão grande
Meus limites, vão além dos horizontes
Ultrapassa os obstáculos, os astros
Se rendem a tua formosura
Uma beleza tão pura, que me delira

Mulher, criação divina
És a maestrina na condução da sedução
Cativas minha alma, algemas o meu ser
Não me liberte, não saberia viver
Longe de ti, sou seu escravo, seu cativo

Me condenes a viver ao teu lado
Saborear este corpo que vicia
Dependente que sou deste amor
Alimento-te, te cuido te protejo
Não quero que me liberte
Apenas que me ame..., nada mais
Te peço...

Gerson(120610)

Perdido por ti, estou

Sublime Imagem
Desperta teu corpo
Provoca a minha luxúria
Meu puro desejo em tê-lo
Nu sobre o meu
Sentir os teus pelos
Camada aveludada
Minha amada...

Não mente a lembrança
Sobre a cama deitada
Lençóis e travesseiros..., jogados
Atirados pelo chão..., minhas mãos
Ainda quente lembram-se do contato
Das secretas passagens
Para mim reveladas, comprovam...
Perdido por ti estou

Ficou na retina gravado
A fascinante lembrança
Como este corpo desejo
Leve e solto, tua camisola de seda
Envolvendo tua beleza
Ao meu lado tu te despes
Entregou-se a paixão

Dentre os mortais
Eu sou o mais feliz
Brado aos quatro cantos
Ouça o meu regozijo
Realizemos nosso ato de amor
Antes que a noite termine

Gerson (180910)

Teus frutos honrarão a tua memória


Teu fruto
Uma entrega sem volta
Um carinho dispensado
Uma vida gerada com muito amor

Razão de tua vida
Este ser indefeso ainda te preocupa
Os filhos nunca crescem
Serão eternos bebes
Indefesos e queridos
Sempre por nosso manto cobertos
De carinho e proteção

Mãe, és a perfeição
Dedicação e sofrimento
Angústia e tormento
Alegria e amor
Mesmo quando os virem partir
Buscar os seus destinos
Chorar as suas ausências
Sabes que eles nunca foram teus
Pertencem ao mundo

Você pode tudo na vida
Esta dádiva te foi dada
Teus frutos honrarão a tua memória
Tua glória...

Gerson (180910)

Pra você Ana Paula
http://maedemenina.spaceblog.com.br

17 de set de 2010

Teu reflexo em meu espelho

Povoar os teus sonhos
Sentir este prazer
Saber que pensas em mim
Nas horas solitárias
Quando a mente vaga
Ainda bem que posso te provocar
Posso te fazer sentir algo por mim

Meu reflexo em teu espelho
Minha imagem ao teu lado
Meu vulto sorrateiro
Tentando te tocar
Sentir o teu corpo macio
Teus lábios frios, ausentes
Como desejaria beijá-los
Aquecê-los novamente
São sonhos..., infelizmente

Teus desejos são meus
Tua boca meu prazer
Teu colo meu repouso
Tuas mãos em mim, carícias
Teus lábios meus deliciosos beijos

Vamos sonhar este momento
De paixão, luxúria e encantamento
Merecer este envolvimento
Que me faz crescer neste amor
Levar-te o meu calor
Dizer-te que és o meu amor
Mesmo que na distância sofremos
Nossas ausências nos impõem
Só em sonhos vivermos este amor

Gerson (170910)

16 de set de 2010

Amanhã..., vou te presentar?

Amanhã, vou te acordar, vou te abraçar
Muitos beijos vou te dar, te agradecer
Pelos momentos felizes que passamos
Juntos, pelos carinhos que me dedicas
Em todos os momentos de nossa vida

Teus cabelos vou tocar, penetrar meus dedos
Pelos fios, deslizar..., acariciar tua nuca,
Roçar meus lábios nos teus num longo beijo
Que será meu presente, por este amor
Que me fez feliz, por todo este tempo
Que estou ao teu lado...

Uniremos nossos corpos, na celebração
Deste amor que nunca irá morrer
Pois ele é a nossa razão de viver

Me abrace, me aperte em seus braços
Não me deixe escapar da tua prisão
Pois me entreguei sem perdão, sem
Vontade de fugir, não quero absolvição

Quero viver ao teu lado até o último
Dia..., não percorrerei outros caminhos
Nem imagino outro destino a não ser
Ao lado seu..., amor meu

Meu castelo, minha casa, meu refúgio
Meu telhado, meu abrigo, meu celeiro
Te amo por inteiro, não reparto, não sou
Aventureiro, quero o teu descanso
Teu remanso, teu perfume, teu jardim
És a rosa..., eu um pobre jasmim
Que te ama, te adora, te implora
Me ame tanto quanto eu a ti

Gerson(110610)

Que presente vou te dar

Amor da minha vida
Que presente vou te dar
Se tudo que tenho, é seu
O que mais darei. Já te dei
O luar, quando abraçados, nas noites
Frias de inverno, és o meu agasalho...

Meus beijos, são sempre em teu rosto,
Onde vão parar...
Meus abraços apertados, apertam este
Corpo, esbelto e sedutor...
Meu olhar, só a ti conseguem mirar...
Meu coração, já é seu, não me pertence
A muito tempo...

Meus desejos, meu sexo, só realizo
Quando toco o seu, cheio de paixão
Calor , muito amor e emoção

Só posso te ofecerer o meu ser,
Minha alma, meu prazer, minha
Vida a sua mercê, faça dele o que
Bem entender, meus versos, meus poemas
Já são pra você...

Me diga o que mais quer de mim
Se tudo já lhe dei, se tudo já escrevi
Se tudo já te dediquei
Se tudo de mim só lembra você
Meu amor, minha querida
Minha vida..., minha eterna, namorada

Que presente vou te dar...? Minha amada.

Gerson(110610)

Me diga as palavras certas

Porque tuas dúvidas ainda persistem
Tudo que já disse a teu respeito
É a pura verdade, me amas, sei
É verdade, não adianta
Esconder, eu sinto isso...
Disfarças, ignoras meus chamados
Finges que não te toco..., te provoco

Quero que tenhas alguma reação
Não vou revelar teu segredo
Não vou te causar constrangimento
Só lamento que ainda não ouvi
Dos teus lábios, aquelas palavras mágicas
Que os amantes tanto desejam ouvir

A verdade que não pode ser reprimida
Escondida, calada, trancada em nossos
Corações, que tanto sofrem, por nossa
Própria vontade, liberte-o para este amor
Que te dedico com tanto fervor

Eu ti amo..., só queria ouvir desta boca
Que deseja meus beijos, estes lábios
Que tremem quando olhas minhas cartas
Meus escritos dedicados a este amor
Sincero, bonito..., eterno..., eu espero

Me traga a minha paz
Me leve as alturas
Me cubra com ternura
Me faça sentir a tua cura
Me ame esse noite
Como se fosse a última
De nossas vidas, minha querida
Me diga as palavras certas

Eu te amo...

Gerson(100610)

15 de set de 2010

Estranho Amor

Que estranho sentimento,
Que cultivo em alguns momentos.
Há quem diga que é amor
Ou talvez seja o amor
Que me pergunte
O que eu desejo.
É com ele que eu expresso
Os meus sonhos mais secretos
Como quero esse amor,
Se vestido de cupido
Ou se em versos esculpido?
Não sei se é em sonhos
Que me vejo assim possuída,
Por desejos mal contidos
Ou por contidos desejos.
Que estranho amor confessa o poeta,
Quando em versos desperta
Os mais belos sentimentos,
Nascidos de um momento
De raro encantamento.

Nada de estranho
Pode sentir duas pessoas
Que se amam
É amor sem dúvida
Teus desejos sei de cor
Tua vida me completa
O cupido nos flechou
Derramou este amor
Nossos momentos de envolvimento
Nossas trocas de carinhos
Eleva-nos aos momentos sublimes
Saiba que foste o encantamento
A expressão mais pura e singela
Liberta-me e flui livremente
Como corrente quente
Paixão e ternura
Amor na expressão mais pura

Gerson e Débora (150910)

14 de set de 2010

Quisera poder renascer este amor

Estas uvas que sorves
Que tocam teus macios lábios
Este gesto de sabor doce
Revela a luxúria do teu amor

Quando estes lábios me tocavam
Minha pela tremia..., enrijecia
Ficava aquecida pela paixão
Que de ti vinha afastava minha solidão

Hoje é pura lembrança
Dos anos que passaram
Das loucuras que vivemos
Sensações de uva fresca
Fruta silvestre, que nunca se esquece

Tua figura já mudada
Os anos te foram leves
Não retirou a tua beleza
Amadureceu teus sentimentos
Tuas buscas são outras
Amor mais tranquilo
Uma vida mais comedida

Procuras o que não tenho
Minha mocidade se foi
Minha beleza se deteve..., feneceu
Morreu e deixou marcas
Cicatrizes na alma
Coração que bate mais calmo
Só lembranças...

Quisera poder de novo
Este amor fazer renascer
Tudo viver novamente
Sorver as tuas uvas
Frescas e silvestres
Selvagem e pura
Impossível loucura
Novamente viver

Gerson (140910)

Ainda vejo rastros do amor que passou

O amor por aqui passou
Deixou um bem visível rastro
Deixou do combustível, o cheiro
A fumaça do candeeiro, ficou
Ainda posso ver...

Vou esperar chegar, a noite
Colocar-me em seu caminho
Interpelar este andarilho
Se sabe de você, meu bem querer

Se antes de mim, alguém...
Trouxe luz e calor ao teu coração
Se fez brotar a chama da paixão em teu peito
Que eu tarde não chegue
Que o primeiro ser
Há tempos, aquecer o teu coração, quero

Meus escritos e paixões
Declarações de amor, satisfação
Meu prazer em ao meu lado te ter
Bastará para aquecer-te

O meu coração está em brasa
Bate a procura de um maduro amor
Suficientemente amigo e querido
Companheiro das difíceis horas
Vazias e triste

Delícias, eu quero contigo provar
És minha adorada..., amada
Broto de uma vermelha rosa
Ouve meus sussurrantes lamentos
Reclamo presença tua
Amor, adorada..., para sempre amada

Gerson (140910)
Dedicado a minha querida amiga Débora.

13 de set de 2010

A Lua tem inveja de ti...

A Lua se escondeu
Tem inveja de ti
Reclama que brilhas mais
Diz que me roubaste dela
Era minha companheira solitária
Das noites que passava
Esperando-te na sacada
De janela aberta..., escancarada

As luzes apagadas
Só da sua luz desfrutava
Ainda bem que tudo passou
Hoje te espero desta mesma sacada
Com a minha janela, novamente aberta
Cortinas desfraldadas sob o vento
Brisa mansa das noites sem Lua
Só estrelas me acompanham
Nesta minha espera por ti

Venha minha linda
Minha adorada companheira
Destas noites felizes
Em que passamos juntos
Amamos-nos muito

Curaste meus males
Minhas dores, anseios bobos
Prazeres que não pensava viver mais
Traga-me o teu calor o amor que agora é meu

A Lua,
Por trás das nuvens..., se escondeu.

Gerson (130910)

Meu coração..., é teu

Minhas mãos quando te tocam
Nesta pele macia e morna
Transfere tua energia,
Que alimenta e sustenta
Esta alma que ama e se encanta

Tamanho ardor vem de teus lábios
Quando tocam nos meus, molhados
Energizados, me levam a loucura

Moldura do grande amor que por ti
Criei, para colocar tua imagem
Meu espelho, por onde vejo
Teu reflexo ao meu lado
Seu amor seu devoto, unidos
Num laço..., apertado abraço

Um beijo neste corpo lindo
Nestas mãos protetoras
Que me passam palavras lindas
Em tuas cartas, tuas memórias
Minhas glórias, minhas conquistas
Nesse amor que se implantou
Neste corpo do poeta...

Fique com a minha promessa
Nunca vou te esquecer
Uma rosa te dou..., vou deixá-la
Na soleira da tua porta
Guarde, ela representa o meu
Coração que por ti..., bate

Um beijo meu amor

Gerson(090610)

Seja minha namorada..., novamente

Hoje quero te trazer a minha alegria
O teu retorno ao meu lado
Ouvir as tuas carências, teus medos
Tenho tanto pra falar, te elevar
Te colocar num altar, te admirar

Minha deusa, minha musa
Minha inspiração, minhas palavras vem de ti
És a única razão de tudo, meu amor
Profundo, que me tomou de assalto
Levou-me ao cadafalso, quando partiu

Desesperado, um inútil ser caminhante
Errante, sem sua guia, sem rumo
Cabisbaixo, um traste...

Mas agora, tudo mudou...
Posso te falar dos meus projetos
Das minhas esperanças..., quanto a ti
Renovou o meu carinho, que sempre foi
Teu, meu coração revigorado, já
Calejado, nunca reclama, aceita de bom
Grado, tudo que recebe de ti

Seja de novo a minha namorada
Minha querida, minha desejada
Amada, flor do meu jardim
Que enfim, retornou para este peito
Que sempre te abrigou, te acolheu
Amor meu..., seja bem vinda
Luz da minha existência
Meu pedido de clemência
Não me abandone..., novamente

Gerson(090610)

12 de set de 2010

Quero tirar o teu véu

Chegou à noite
Misteriosa e calma
A Lua se mostra no céu
E eu aqui no papel
Deito as palavras que chegam até você

Deixe-me tirar este véu
Que cobre teu sensual corpo
Espera-me, demorar não vou
Antes que ela se vá...
Deito-me ao teu lado

Vamos nos cobrir de prata
Esta luz que nos falta
Amar sem medo, sem preconceito
Sem impor nada, sem promessas
Sem compromisso da volta
Apenas este instante de luxúria
Será importante para nós...
Dois fugazes amantes
Capazes de tamanhas loucuras

Nossas entranhas reclamam
Sensações puras..., maduras
Sabemos o que queremos
Deitemos agora...

Gerson (120910)

Que linda metade eu queria

Estou bem
Minhas ligações...
As amizades que cultivo
Só me enchem de prazer e orgulho
Dou e recebo muito amor
Mesmo quando desligo
Recebo créditos mesmo assim
Meus medos já se foram
De não ser aceito
Rejeitado, duramente criticado
Isso eu encaro numa boa
Só querem o meu bem

Reclamas, por ser uma metade
Não és amada por inteiro
Não te assumem...
Privam-se de tua natureza linda
Este rosto angelical
Que idiotas são...

Irás preencher teus vazios
Por certo o tempo encarregar-se-á
Promoverá este encontro
Da outra metade que falta
Para ser amada por completo

Vou desligar
Deixar que outros possam ver
A tua beleza, sentir a tua esfera de luz
Teu brilho que não é pouco
Ofusca-me...

Gerson (120910)

(baseado num texto da amiga Danila)

11 de set de 2010

Só quero você.., entendes


Vivo pelos cantos
Esperando que me notes

Me perfumo, para que sintas
Que por perto estou

Só teu corpo desejo
Para me enroscar e amar

Não beijo outros lábios
Só os seus mereço tocar

Não escondo o que sinto
Bem sabes que é a ti que quero
Amar

Ando por ai, mas sempre volto
Para te esperar

Não fujo , não procuro saídas
Pois de ti não posso me separar

Nunca vou desistir deste amor
Quero me entregar a você
Só quero te amar

Gerson(080610)

Teu corpo, minha perdição

Tua carne quente
Este corpo que me entregas
Sem receio, sem pudores
Será meu holocausto
Vou me perder...

Uma boca que reclama
Brada ao vento teu nome
As lágrimas que verteram
Destes olhos vermelhos
De saudade quase secaram

Que o tempo pare
A brisa se detenha
Pra olhar nossa luxúria
A noite envergonhada nos cobre
A Lua mudou de fase
Sua luz já não nos mostra

Só o escuro predomina
Teus olhos me iluminam
Lançam sobre mim tua luz
Abranda a penumbra
Projetam vultos nas paredes

Amor consuma este ato
Meu palco se esvazia
Minha estrela irradia
Toda a energia
Todo o amor que tens para mim

Gerson (100910)

Estou a tua espera..., volte logo

Estou a tua espera
A saudade é enorme
Finda o dia a noite me cobre
E eu a esperar...

Sinto a tua falta
Cavaste um buraco no meu peito
O vazio que ficou
Foi enorme..., retorne
Não sei se vou aguentar

Tento minha vida levar
Sem em ti pensar
É difícil, é o mesmo que viver
Sem o ar que respiro
Sem o sangue que corre em
Meu corpo
Sem o pulsar do coração
Que sem ti, bate pouco

A solidão se apossou
A tristeza, arrebatou o meu ser
A alma do poeta, padece
Emudece

Volte logo meu amor
Teu amado te espera
Com uma rosa na lapela
Um buque em minhas mãos
Para te dar quando te encontrar
Muitos beijos, muito carinho
Meu calor..., meu amor
Minha alegria retornará
Minha amada, novamente
Na minha vida..., irá morar

Gerson(050610)

10 de set de 2010

Peito vazio..., incompleta alma

Este vazio no peito, incompleta alma
Não me acalma como queria
Antes fosse a tempestade, ventos
Fortes, chuva intensa, raios trovões
Saberia me proteger, me abrigar

Tenho que me calar, suportar a dor
Resignar esta ausência da tua
Presença..., paciência devo ter
Ainda espero te ver

Estais machucada, cheia de culpas
Mas a culpa foi minha, te pressionei
Inventei um caminho que me levava
A ti, te acariciei com meus lábios
Te fiz sonhar algo impossível, por certo

Te peço perdão, não pensei na tua
Fragilidade, tamanha a minha intensidade
Em demonstrar o meu amor por ti
Errei, te joguei neste abismo
Mereço o castigo que me darás
Padecer em silêncio, me valer só e triste

Tenho amargurado cada minuto
Tenho sofrido como um louco
Mas, vou me calar...

Quando quiseres, se mudares de ideia
Estarei por perto, não me manifesto
Trancado, sentado a minha mesa
Papéis esparramados, lápis jogados
Procurando uma forma de me expressar
Te agradar, te falar alguma coisa
Que te dê alento, que seja algum sustento
Para te tirar deste abismo
Para clarear teu caminho
Para te ver, novamente amar

Gerson(050610)

Deixe-me acender o teu coração

Busco o teu coração
Nesta imensidão escura
Por estas vielas sombrias
Pelas frias noites de inverno

Sofro junto com o meu...
Acelera e quase para
Deixa-me deveras preocupado
Tenho que te encontrar
Trazer-te para o meu lado
Mesmo que a distância seja grande
Ouvir o seu que bate baixinho
Sozinho no teu peito...

Lá vem o acendedor de corações
Vou enganá-lo, dizer-lhe que a casa está vazia
Já não moras mais aqui
Vou pedir-lhe um pouco desta chama mágica
Que pelas noites ele espalha
E Cupido, seu companheiro, vou pedir uma flecha
Vou atirar pela fresta da janela
Acertar bem no teu peito
Atravessar o teu coração
Quero este amor teu
Sentir o teu calor em mim
Amar-te, minha doçura

Refazer seus sonhos
Meu prazer te dedicar
Meu poema te elevar
Para nunca mais lamentar
Tua solidão..., findar

Gerson (100910)

Teu lindo olhar, encanta-me

Minha presença em seus sonhos
Deixa-me deveras feliz
Minha imagem povoa o teu íntimo
A tua, me remete ao delírio
Penso nas noites vazias
Atar-te ao meu coração
Pura pretensão...

És jovem demais
Já não serei capaz de preencher
As esperanças do teu viver
Tuas luxurias compensar
Teu amor juvenil
Deixa-me viril...

Ama-me em teus sonhos
Realize teus desejos
Vou tentar te encontrar
Nos meus..., amar tua meiguice
Teus carinhos receber
Teus lábios macios
Roçaram nos meus
Teu lindo olhar sempre me encantará.

Gerson (100910)

9 de set de 2010

Trago as marcas do caminho

Estou de volta
Trago marcas do caminho
Cicatrizes profundas
Amores..., só lembrança
Paixões que vivi
Saudade vou ter

Amei e fui amado
Relutei mas voltei
Quero a paz
Sempre aqui encontrei
Fui criado nestes campos
Sempre será meu recanto

Minhas botas estão rotas
Gastas, empoeiradas
Suas solas já furadas
São suficientes para chegar
Ao meu antigo lar
Rever os amigos
Os amores antigos

Será que ela...
Como antes, sempre na janela
Poderei vela, estará bonita
Os anos castigaram-na
Espero que não
Pelo menos isso vou rever
E alegria vou ter

Gerson (090910)

Coração sem cor, que bate por ti

Está desiludida...
Ainda sonho contigo
Recordas o fim do amor
Mais sofrido foi em minha vida
Não me queres mais
Página virada pra você
Amarelou a tua foto..., já antiga
Coração sem cor ainda bate por ti

Procuro um amor
Que me faça esquecer
Que afaste as amarguras
As tristes lembranças
O cálice amargo
Em algum lugar tenho a tua foto
Ainda vou achá-la
Vou procurá-la e recordar de ti
Lembrar do teu sorriso
Dos teus olhos castanhos
Tua face bela e charmosa
Temperamento rebelde
Teu ciúme, teu carinho
Dos teus queixumes

Teria uma chance
Que seja de relance
Que me prostre aos teus pés
Que te peça bem baixinho
Num sussurro em teu ouvido
Voltar a te querer, te amar
Ter-te ao meu lado,
Sorver os teus lábios
Um abraço bem apertado
Chamar-te de meu amor

Afastar a dor do peito
Com certeza a dor do teu
Acabar com a solidão
Reacender a paixão
Ter tua mão entre as minhas
Sentir o calor o frescor
Chamar-te de adorada
Passear pela calçada
Fazer-te orgulhosa
De amar e ser amada por mim
Para sempre...

Gerson (090910)

Venha cigana, abrir nova clareira

Minha partida já preparada
Meu destino libertário, não me prende
Não crio raízes, não dou tempo
Como a brisa das manhãs
Parto ao raiar do dia

Apaguei a fogueira
Recolhi minha chaleira
Já sorvi meu chimarrão
A luz do sol já me cega
Meus cavalos atrelados
Puxarão minha carroça
Minha ambulante casa

Venha cigana
Vamos novos campos conhecer
Outras distantes terras
Venha me acompanhe
Seja minha companheira
Uma nova clareira abrir
Pra lá destas montanhas

Não olhes para traz
Para saudade não sentir
Não te prenda a nada
Só ao meu coração
Meu corpo reclama por ti
Longe de ti, não saberei viver

Quero sobre mim teus cabelos
Teus lábios, dois morangos
Quero o sabor sentir
Perder-me por instantes
Nesta luxuriante paixão
Venha me fazer feliz

Gerson (080910)

8 de set de 2010

Pensei que me amavas

Ouço o piano tocar
Seus dedos percorrem as teclas
Tua casa está em festa
Teus amigos sentados no sofá
Nem me convidaste

Serei um traste
Serei dispensável na sua vida
Minha amiga, como foste maldosa
Se dizendo minha..., seu amigo, sou.
Pensei que te fosse de grande valia

Ouço cânticos...
Conversas em bom e alto som
O vibrar de taças..., brindes
O cheiro agradável de iguarias
Tua mesa sempre posta
Teus amigos que mais gostas
Estão agora contigo...

Um ambiente de alegria
Todos em volta em disputa
Querendo só sua companhia
És o centro das atenções
Estais felizes então..., não precisas de mim

Era muita presunção minha
Achar que pudesse me ter em seu peito
Ter sobre ti algum direito
Pretender ter o teu amor
Receber seus carinhos, seus beijos
Mesmo que por momentos a sós, seu calor
Pudéssemos ser só nós
A nos tocar, nos abraçar..., nos amar

Será que ainda tenho uma esperança
Que possa te motivar ainda
Tocar a campainha, pedir para entrar
Sentar-me ao teu lado
Ouvir tua voz delicada
Impregnar-me de teu perfume
Não me custa tentar...

Gerson (080910)

Será que amarei novamente

Sei que esta noite
Será muito vazia, triste
Solitária, mas tenho que prosseguir
Na penumbra vou ficar, calado
Amargurado, por não poder fazer
Nada, para mudar esta situação
Que me foge das mãos, aonde
Não vejo solução

Qual a razão de tudo
O que levou pra longe de mim
O amor que sentia a meu lado
Com certeza não morreu
Não quero acreditar nisso
Me recuso a aceitar que longe
Ele ficará, sem uma resposta
Sem uma explicação

Minha vida, agora sem razão
Miserável existência, vai padecer
Na solidão..., que fazer então
Cabe aos amigos, pedir que não
Me abandonem, que tenham a mim
Como irmão, amenizem este
Sofrimento que não será leve

Me doei tanto, me entreguei
Como nunca, chorei sobre minha
Escrivaninha, molhei meus rascunhos
Amassei tudo, no lixo os atirei
Será que conseguirei, novamente
Escrever..., não sei, terei motivos
Para isso, será que meu lápis
Me obedecerá novamente
Só o futuro dirá, será que
Só com a sua volta, de novo
Irei , novamente amar

Gerson(040610)
Foto: Revista Decorar.

7 de set de 2010

É muito bom amar e ser amado(a)

Quem disse que não amaria mais
Uma bobagem sem propósito
Considerar-se acabada para o amor
Loucura pura, ninguém está imune
A este vírus, bactéria..., sei lá
Quando se instala, mesmo que tenha sido outrora
Tenha sofrido por ele, tenha se afundado num abismo
Tenha vivido num mundo estranho e escuro
Sempre haverá alguém que vai te tirar de lá
Do inferno, deste mundo de solidão e tristeza

Pensar em morrer, sofrer sem cessar
Amaldiçoar quem nos fez chorar
Só nos leva a mais sofrimento
Mais angústia, penar no escuro
Recluso, uma atitude imatura
Sem razão nenhuma

Estais agora, feliz
Achaste novamente o amor
Vais viver tudo novamente
Vais sentir o teu corpo de mulher
Pedir as alegrias de uma vida
Os desejos realizar com teu companheiro

Seja mais feliz que antes
Recupere o tempo perdido
Ame sem pudor, se entregue a este amor
Nada é certo nesta vida, só a morte é o destino
O que realizamos no caminho é o que importa
Os frutos que deixamos, serão os nossos legados

Seja feliz agora
Nunca pense que tudo é exato
Se amanhã sentires que não era o esperado
Que importa, a vida passa tão rápido
Que antes disso estaremos lá
Dando contas do que fizemos
Julgados e condenados, absolvidos e agraciados
Com os louros de uma vida vitoriosa

O amor, tão simples e tão trabalhoso
Relaxa e cansa, alegra e nos faz chorar
Aperta nosso coração e ainda assim o queremos
Muito, muito bom amar e ser amada

Gerson (070910)